Pousada Bucaneiros Arraial d Ajuda (BA)

Venha conhecer a Pousada Bucaneiros, em Arraial d’Ajuda. Um pouco de história de Arraial, dados, preços e reservas. Confira aqui nossos serviços da melhor qualidade em Arraial, você com certeza vai se apaixonar por esta maravilhosa região da Bahía.

Pousada Bucaneiros Arraial d Ajuda (BA)

[email protected]

www.pousadabucaneiros.com.br

 

# apartamentos com ar condicionado, ventilador de teto, frigobar e TV

# apartamentos com ar condicionado, ventilador de teto e frigobar

# chalé tipo loft com ventilador de teto, tv, geladeira, fogão e cozinha montada.

# chalé com ar condicionado no quarto e ventilador de teto na sala, televisão, geladeira, fogão.

# Chalé com quarto , mezanino e sala, com ventilador, televisão geladeira e fogão

• café da manhã

• serviço de camareira

• frigobar

• ar condicionado

• tv a cores

• cofre na gerência

• estacionamento

• piscina

Outras facilidades (custo extra e/ou consulta de disponibilidade)

• massagista

• depilação

• aluguel de carro

• telefone

• toalhas de praia

• bicicletas

• lavanderia

Alta Temporada

Consideramos alta temporada a partir de 15 de dezembro até o domingo seguinte da quarta feira de Cinzas . É a época mais cheia por aqui.

Durante o verão temos a época de água do mar mais clara, ou seja , é a época mais indicada para o mergulho submarino.

Baixa Temporada

A Baixa temporada é considerada entre maio até início de dezembro (excluindo julho e feriados,)

Entre os meses de setembro até início de novembro temos a melhor época de ventos. Excelentes para práticas de esportes de vela. Também nesse período é possível a observação de baleias em regiões próximas daqui.

Pela necessidade de uma mudança de vida e um trabalho longe dos escritórios das grandes cidades Ricardo que trabalhava numa imobiliária e eu Cláudia, formanda de biologia descobrimos o Arraial d’Ajuda, onde resolvemos nos estabelecer. Inicialmente sem saber exatamente o que fazer, após a compra do terreno resolvemos que faríamos uma pousada, sonho de alguns poucos nos idos de 1986.

A Pousada Bucaneiros iniciou a sua construção em janeiro 1987 e teve a sua inauguração no Reveillon de 1988/89.

Inicialmente com seis apartamentos, aos poucos foi estruturando-se e equipando-se acompanhando o crescimento local. Em 1995 compramos o terreno anexo a pousada para que pudéssemos ampliá-la. Nesse terreno inicialmente foi feita a piscina e bar .

Depois de alguns meses construímos dois chalés e a sauna e depois de um ano mais um chalé para que pudéssemos atender a procura que começava a surgir de hospedagens tipo flat, com cozinha equipada.

A cada ano que passa, sempre é feita alguma modificação, algum detalhe é acrescentado para que a cada retorno possamos oferecer novidades aos nossos “hospedes reincidentes e fundadores ”

Um pouco de história do Arraial

Quando o destino é Arraial d´Ajuda, o espetáculo começa logo na travessia da balsa que liga Porto Seguro à ponta do Apaga-Fogo. Durante 10 minutos a embarcação desliza sobre o Rio Buranhém, descortinando paisagens exuberantes, entrecortadas de mangues, águas e arrecifes, que sinalizam para o feliz encontro do rio com o mar. Cinco quilômetros adiante, que podem ser percorridos de Kombi, ônibus, táxi ou caminhando pela praia, no alto de uma colina, surge imponente o Arraial d´Ajuda.

Sobre o lugar, Pero Vaz de Caminha bem poderia escrever ao rei que o porto continua seguro e as praias do Arraial não perderam sua beleza natural e selvagem. Paraíso descoberto pelos hippies na década de 70, de lá para cá o Arraial se preparou para receber levas de turistas brasileiros e estrangeiros, sem perder os dotes naturais e a magia que tanto encantaram os primeiros descobridores e que até hoje continua seduzindo visitantes cada vez mais exigentes, que buscam o reencontro com a natureza, sem abrir mão do conforto.

7.463 leitos de ótima qualidade compõem o parque hoteleiro do Arraial d´Ajuda, distribuídos em 180 estabelecimentos, que oferecem opções para todos os gostos e bolsos. No Caminho da Praia, ou Estrada do Mucugê, pousadas charmosas, bares, boates e restaurantes oferecem uma gama de alternativas originais e criativas. A culinária é uma atração à parte no Arraial d´Ajuda, que oferece desde a comida típica baiana até requintados pratos da cozinha internacional.

Nas praias do Arraial d´Ajuda o visitante compreende o deslumbramento experimentado por Pero Vaz de Caminha e tão bem registrado em sua histórica carta ao rei de Portugal. São mais de 20 quilômetros de praias de águas transparentes e cristalinas, entrecortadas de rios e emolduradas por coqueirais e falésias.

Points badalados, praias calmas e até desertas se complementam, num cenário paradisíaco. Barracas com cobertura rústica de piaçava e toda a estrutura para garantir o conforto do visitante oferecem água de coco, sucos de frutas típicas e um cardápio variado, que inclui mariscos e pratos da culinária local, como o aprovadíssimo camarão na moranga e o peixe assado na telha.

Apaga-fogo, Araçaípe, Mucugê, Parracho, Pitinga e Taípe formam um roteiro inesquecível, que inclui um parque aquático que oferece, emoção e adrenalina à beira-mar. Crianças, jovens e adultos encontram muita diversão nos toboáguas, piscina de ondas, brinquedos, rio lento, queda d´água e diversas piscinas com esportes aquáticos. Tudo em meio à Mata Atlântica, com direito ao canto e visita constante dos pássaros.

A história do Arraial d´Ajuda , um povoamento típico dos aldeamentos jesuíticos do século XVI, começou com a construção da igreja, que recebeu a primeira romaria do Brasil e hoje acolhe cerca de 15 mil romeiros da Bahia e do restante do país, que durante a Festa da Santa, de 7 a 15 de agosto, chegam para pagar promessas, fazer pedidos e render graças à padroeira do distrito, dos marinheiros e das longas viagens.

O Arraial de Nossa Senhora foi mais uma homenagem a Tomé de Souza e aos primeiros jesuítas que aqui chegaram em 1549, com suas 3 naus: Conceição, Salvador e Ajuda, que viriam a ser nomes de cidades e de suas primeiras igrejas. Antes da construção da capela de palha só havia um planalto com uma plantação de um canavial. Na formação do povoado ajudou o ciclo da cana-de-açúcar e a partir de 1720, o do cacau.

Tiveram influências também outras culturas como piaçava, farinha de mandioca e pesca. Mas a maior de todos, sem dúvida, foi a peregrinação religiosa de centenas de pessoas que vinham em romaria e outros que mandavam buscar a água. Propagado pelos jesuítas que “fez Nossa Senhora mercê de abrir milagrosamente aquela fonte”, a boa nova do milagre se espalhou por todas as capitanias do Brasil.

Em 1763, o Ouvidor Tomé Couceiro de Abreu escreve ao rei de Portugal sobre as “vilas e rios da capitania do Porto Seguro”, onde fala de Trancoso, Vale Verde, mas não menciona o Arraial. Há algumas hipóteses de que o Arraial seria a antiga vila de Santo Amaro, ou que se chamava de vila de “Insuacome”. Até o início do século XIX o Arraial d’Ajuda parecia não existir com alguma notoriedade maior. Na formação da população do atual distrito tiveram influência vários grupos étnicos, os indígenas (índios pataxós) negros e os estrangeiros (portugueses, franceses, holandeses, ingleses e espanhóis).

Milagres de N.Srª d’Ajuda fazem história

Diversos religiosos, incluindo o padre Manoel da Nóbrega, deixaram relatos escritos sobre a aparição da imagem de Nossa Senhora d’Ajuda, a construção da igreja da santa e a água milagrosa que brotou aos pés da igreja. Em sua “Crônica da Companhia de Jesus no Estado da Bahia”, de 1864, o padre Simão de Vasconcelos conta que um velho lenhador, habitante de um rancho nas redondezas da costa, subiu um dia ao ápice da montanha com o objetivo de encontrar melhor madeira com que pudesse restaurar alguns portões de sua cabana, quando esbarrou num fragmento de rocha: era a milagrosa santinha.

De joelhos, o simples homem tomou-a nas mãos e retornou logo à sua casa, colocando a imagem numa cavidade da parede de seu humilde casebre, enfeitando-lhe com flores diversas. Todo o resto do dia o homem se pôs a rezar, até dormir, vencido pelo sono. Logo ao acordar dá por falta da santa e volta ao mesmo local da véspera, onde lá estava a imagem, na mesma posição. O lenhador traz a santinha de volta e a coloca no oratório. Torna a rezar e a dormir e ao abrir os olhos, nada da imagem.

Pela terceira vez a encontrara e compreendera o seu divino propósito, e, inspirado talvez pelo céu, transfere sua cabana para o lugar do precioso achado, hoje ocupado pelo templo. O lenhador torna-se então um ermitão e passa a peregrinar em torno, fazendo curas milagrosas, cujos proventos se destinavam ao levantamento de uma igreja para a santa, à qual deu o nome de Nossa Senhora d’Ajuda. Ajuda era também o nome de uma das três caravelas que trouxeram os primeiros jesuítas para o Brasil em 1549: Conceição, Salvador e Ajuda.

Urbanização começou a partir da igreja

A igreja de N. Srª d´Ajuda começou a ser construída em 1549, com taipa, adobe e cobertura de palha. Ao seu redor foram construídas casas, que além de abrigarem os jesuítas, serviriam também para o trabalho de catequese dos índios. De acordo com o relato de Fausto Rodrigues de Almeida, em seu livro “Descubra Porto Seguro”, o primeiro e o segundo tempo que se edificaram ruíram numa noite, por ter a frente para o mar, um, e o outro para a terra, coisa que a caprichosa santa não queria. Se os padres a colocavam voltada para Leste, ela vira-se para Oeste e mesmo para o Sul, preferindo encontrar-se com o Norte. Nesta posição se encontra a atual igreja.

Em 1772 a igreja, que pode ser avistada a quatro ou cinco léguas do mar, foi totalmente reconstruída. O conjunto arquitetônico atrás do altar é composto de cinco imagens: o Crucificado, Santo Amaro, Santo Antônio e duas imagens de nossa Senhora d’Ajuda, uma menor, considerada milagrosa, com 31 cm de altura, trazida de Portugal, em 1549, pelos missionários jesuítas, e outra maior, do Século VXIII. Ambas permanecem no altar mor, ficando a pequena instalada numa posição superior. A igreja possui ainda uma sala de milagres, com inúmeros ex-votos de agradecimento à santa, sendo o mais antigo datado de 1893.

De acordo com o Guia Cultural do Made (Museu Aberto do Descobrimento) a igreja não foi apenas o marco de fundação do Arraial d’Ajuda, ela foi também o fator determinante da continuidade e desenvolvimento do vilarejo. “A provável causa da afirmação do núcleo urbano foi a peregrinação religiosa, que progrediu a partir do Século XVIII, com romarias e pessoas em busca da fonte milagrosa”, diz o documento. Segundo o guia, o padre Manoel da Nóbrega rezou a missa de Natal na igreja em 1550 e José de Anchieta veio em romaria em 1583. O Santuário do Arraial d’Ajuda é considerado o mais antigo santuário católico do Brasil, cuja romaria acontece a partir de 6 de agosto, com o ápice da festa em homenagem à santa padroeira do Arraial no dia 15 de agosto.

Água milagrosa jorra aos pés da igreja

Segundo o cronista da Companhia de Jesus no Brasil, padre Simão de Vasconcelos, em 1549, com seu suor e de alguns companheiros, estavam construindo a ermida de N. Srª d’Ajuda. Tanto para o preparo da argamassa quanto para uso doméstico, os religiosos eram obrigados a buscar água longe, tendo que subir e descer colinas e atravessar a propriedade de um morador, que não se conformava com as idas e vindas por dentro de sua propriedade.

Entristecidos com a situação, os religiosos suplicaram à virgem que contornasse tal estado de coisas. Com imenso esforço, já haviam conseguido levantar a capela-mor do santuário e um dia, quando o padre Francisco Pires celebrava a missa na referida capela, verificou-se o milagre. Oficiava o sacerdote com celeste fervor, quando ouviu-se repentinamente, debaixo do altar, “um sonoro e brando sussurro”, no dizer do padre José de Anchieta, indo brotar aquela corrente de água fora do frontispício da igreja, ao pé de uma frondosa árvore.

Para ver e admirar o grande prodígio correram todos os moradores, e entre eles, aquele que repudiava o trânsito dos padres por dentro de suas terras. Segundo narra o padre Simão de Vasconcelos, o homem ficou tomado de espanto, vendo quão mais liberal se lhe mostrara a senhora dos religiosos, e com água mais doce e clara. Tocado pela repreensão dos céus, virou ele devoto especial da santa. O milagre da imagem se espalhou por todas as companhias da costa do Brasil e grandes levas de romeiros, procedentes dos mais avançados pontos da colônia passaram a vir em busca da ermida e da cura pela água.

Cronograma da igreja

1549 – Início da construção pelos jesuítas

1551- Já nessa época, o padre Antonio Pires refere-se à igreja como uma ermida muito visitada pelas romarias.

1583- Visitam-na em romaria os padres José de Anchieta, Cristóvão de Gouveia, Ferão Cardin e outros jesuítas.

1772- A igreja é reformada e a feição é a que permanece até hoje.

Fonte: Volume V do Inventário de Proteção do Acervo Cultural da Bahia (IPAC)

O campo de aviação

O campo de aviação, chamado como “Campo de Emergência”, foi construído em 1939 como a base estratégica a serviço dos promotores da 2ª Guerra Mundial. Sob responsabilidade do engenheiro-de-campo, Galdino Mendes, o campo foi feito em menos de 60 dias.

A “Revoada de Maio de 1939” foi uma festa para Porto Seguro e Arraial, que contou com a presença do almirante português Gago Coutinho e Sacadura Cabral, que já era conhecido desde 1922 devido à primeira viagem aérea entre a Europa e a América, num pequeno avião “Lusitânia”. Também funcionava aqui uma agência de correios nos anos de 1947 – 1950.

Hoje no lugar do Campo de Aviação existe o Parque Central e ao longo da pista, especialmente do lado direito, alguns bairros mais populosos como São Francisco, São Pedro, Guanabara e Santiago.

Fontes: Santuário do Arraial d´Ajuda e Jornal do Sol

 
Consulte seu agente de viagens para obter dados atuais de disponibilidade e as últimas tarifas.
 

Avisos Legais sobre Pacotes de Viagens e Produtos Turísticos

  • O MercadoViagens.com não se responsabiliza por conteúdo gerado por terceiros. Lei 12.965/2014 Arts. 18 e 19.
  • Pacotes turísticos, roteiros e viagens são publicados por usuários não vinculados ao MercadoViagens.com
  • Todas as informações, imagens, ofertas e tarifas dos pacotes de viagens são de inteira responsabilidade do autor do conteúdo.
  • O MercadoViagens.com não intermedia ou participa de qualquer etapa das negociações entre anunciantes e clientes.
  • O licenciamento de eventuais fotos e textos de autoria de terceiros é de inteira responsabilidade do autor do conteúdo.
  • Tarifas turísticas sujeitas a disponibilidade e câmbio turismo. Consulte sua operadora turística. Pacotes turísticos sujeitos a disponibilidade.